A porrada visual dos PET no Rio Tietê

7 comentários

Quando vejo educadores desesperados por idéias para trabalhar a questão da aula na sala de aula, fico feliz mas, ao mesmo tempo, irritada com a visão quadradinha que é ficar "dando lição de moral" na garotada. É "feche a torneira" pra cá, "economize", pra lá... arre! Às vezes me parece que estão falando de dinheiro, e não de água.

Parece até que a água só sai da torneira, não vem do rio...

É por isso que convido, a quem estiver em Sampa, a prestar atenção com outros olhos na exposição Quase Líquido, com 20 garrafas PET de tamanho gigante, bem coloridas, espalhadas em um trecho de 1,5 km do rio Tietê.

Artista que gosta de interferir na paisagem urbana da capital paulista, Eduardo Srur chama sua arte de "porrada visual". Sua mensagem é clara: ele quer provocar as pessoas de forma lúdica, para que enxerguem o rio Tietê sujo, poluído, feio, de outra forma. Assim, as águas podem sair do utilitário e passar para o poético... e quem sabe é possível despertar o respeito, de verdade, pelo rio e suas águas na paisagem paulistana.

Para quem mora em São Paulo, vale a pena visitar a obra ao vivo, entre as pontes do Limão e da Casa Verde, na Marginal Tietê. Dá até para fazer um passeio de barco para esse trecho do rio, se você der sorte de conseguir vaga, aos domingos (informe-se pelo telefone 11.5094-4480 e no site do projeto Navega São Paulo).

E no Centro Cultural Itaú (av. Paulista, 149, perto do metrô Brigadeiro), confira o video com o making-of da exposição. Entre outros, você vai ficar sabendo que os 20 pets foram feitos de uma estrutura recoberta com plástico resistente, que vão virar duas mochilas no final da mostra.

Vá logo! A exposição no rio Tietê termina no final de maio.

7 comentários:

  • Joana Darc de Almeida disse...

    Pois é, colega... reflexos da "educação bancária" que infelizmente ainda não mudou. Ainda! Chegamos lá.

  • Josete disse...

    Oi Débora! Adorei este post!
    Ontem mesmo indo à Guarulhos minha filha me chamou atenção para o tamanho das garrafas pet! E eu disse que isso era Educação Ambiental.
    Admiro o autor da exposição e acho que ele consegue fazer Educação por meio da Arte.

  • André Cardoso disse...

    E eu que achava essa história de garrafas PET meio sem sentido... bom saber que o artista tem uma motivação que vai além de chocar e impressionar.

  • Salete disse...

    Olá, Débora! Ótimo blog o seu! Gostei da sua visita e digo que tenho mais dois em parceria com alunos do Midias na Educação:
    http://www.midias41.blogspot.com/ e http://www.midias8.blogspot.com/ (este último começou agora)
    Beijuuuussss, Salete

  • Fábio Brito disse...

    O conceito de Srur é genial. Em MG acompanhei essa semana uma Fundação interessada em realizar algo similar por lá. Tomara que copiem!

  • Declev disse...

    Oi Débora,

    Parabéns pelo saite.

    Te convido a visitar minha página, que tem assuntos correlatos, insclusive sobre a questão da educação ambiental e o lixo:

    http://diariodoprofessor.com
    http://hebdomadario.com

    Abraços.

  • JoãoMaria Andarilho Utópico disse...

    Nem todos os educadores tem esta visão quadradinha da educação ambiental como vc diz. Não podemos generalizar. Nem todos os ambientalistas são bons caráters.
    Sou metalúrgico e estudo a educação, e vejo em minha cidade o compromentimento das educadoraras sainda das 4 paredes de aula.

 

©Copyright 2011 Educom Verde | TNB