Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2007

Mensagem de força e esperança para este Natal e Ano Novo

Confesso que passei horas no You Tube tentando encontrar um video com uma mensagem ecológica bacana de natal... achei coisas bem "echochatas", críticas ao consumo de um falso moralismo e até um video com imagens chocantes de animais sendo maltratados...

... e como a vida já anda bem difícil, acho justo uma pausa neste período entre o Natal e o Ano Novo para compartilhar um video que aparentemente não tem nada a ver com educação ambiental. E que, ao mesmo tempo, tem tudo a ver...

Piegas a parte, espero que gostem, se emocionem e que o ano de 2008 seja assim: surpreendente, com todos nós acreditando que dá sim, para fazer muita coisa. Mas não basta ter talento; tem que ter coragem e perserverança.

Feliz Natal, e até o dia 3 de janeiro!

Verdade ou mentira? Uma entrevista sobre desenvolvimento sustentável

Será que a noção de sustentabilidade está fadada a virar como o bambolê, moda nos anos 1980, que acabou caindo no esquecimento? A provocação é do economista José Eli da Veiga, o qual entrevistei para o site Planeta Sustentável. Autor de A Emergência Sócioambiental, lançado este ano pela Editora Senac (belíssimamente resenhado pela jornalista Maura Campani para a Estante do Planeta), esse pesquisador sem papas na língua convida à reflexão: pode mesmo existir esse tal de "desenvolvimento sustentável"?

A leitura do livro é fácil, e boa referência para quem está estudando ou interessado no assunto desenvolvimento, que sempre quebrou a cabeça dos economistas e agora está na pauta de empresas, universidades, ongs e governos. Veiga expõe informações interessantes sobre a noção de desenvolvimento desde a Revolução Industrial, e ajuda a fazer o leitor refletir sobre como mudar o panorama de "crise ambiental" que encontramos atualmente.
Na entrevista ele também provoca à refle…

Revista eletrônica traz artigos sobre educação ambiental

A Educação Ambiental surge num momento em que o planeta exige que mudemos nosso comportamento, que nos comprometamos com a sobrevivência das espécies em detrimento do progresso (...). (...) surge como apaziguadora entre os ânimos acirrados dos ambientalistas e dos capitalistas. Esta se inserindo como uma referência entre as origens, entre as raças, entre os países, entre as políticas em prol do bem comum, da paz universal".

Palavras do editorial da revista Educação Ambiental em Ação, que existe desde 2002. Diferente de uma revista acadêmica, seus artigos têm uma linguagem mais acessível, voltados para os mais diversos públicos. Na edição de dezembro/07 a fevereiro/08, vale a pena conferir 10 Mandamentos Ambientais na Empresa, do jornalista Wilmar Berna - é para imprimir e colocar no mural do escritório...
Para professores, também é interessante o artigo O Uso de Revistas Como Material Didático Alternativo Para a Educação Ambiental, texto de José Sariego adaptado por Fabiano Villato…

Educação ambiental no cinema: proposta do EcoFalante

Quem mora em São Paulo terá a oportunidade de assistir dois documentários voltados para a educação ambiental e cultura: dias 15 e 16 de dezembro, às 18h e 16h, a Cinemateca apresenta O Pontal do Paranapanema(clique para ver uma sinopse)e Os Japoneses no Vale do Ribeira e Sudoeste Paulista, produzidos pela Ecofalante. A programação faz parte da 21a. Mostra do Audiovisual Paulista.

A Eco é um grupo de educadores e comunicadores trabalham na fusão das duas áreas, ou seja, promove educação ambiental através de recursos da comunicação. Produzido em 2004, o primeiro documentário é uma oportunidade para ter uma visão diferenciada sobre os conflitos sócioambientais da região do Paranapanema, onde o MST (Movimento dos Sem-Terra) atua há décadas. Há quem critique o movimento como sendo um “devastador de florestas”. Mas o que documentário oferece é uma espécie de histórico crítico sobre os impactos causados muito antes da chegada dos sem-terra, quando a região passou a abrigar grandes fazendas. O…

Educador do ano: um educomunicador

O professor Ismar de Oliveira Soares, coordenador do Núcleo de Comunicação e Educação da Universidade de São Paulo (NCE-USP), recebeu o troféu destaque como Educador do Ano do Prêmio Educare - promovido por uma empresa especializada na produção e distribuição de conhecimento através de conteúdos digitais, a Educartis.

A votação dos finalistas foi realizada pela internet e Ismar contou mais de 30 mil votos. É o reconhecimento de um profissional e pesquisador, que produz conhecimento sobre a conectividade entre educação e comunicação. Entre tantas contribuições, está a sua reflexão sobre como educar utilizando a mídia a favor do aluno - promovendo não só a leitura, mas propondo que os estudantes produzam seus próprios meios de comunicação e, assim, aprendendo de uma forma participativa.

Soares é jornalista e ainda geógrafo de formação e vem se aproximando da área de educação ambiental pelo viés do campo da educomunicação. O Ministério do Meio Ambiente (MMA) já reconhece esse campo como im…

Velejadores dão lição de sustentabilidade

Já dizia um ex-chefe: "menos é mais". Os velejadores Igor Belly e Beto Pandiani que o digam: ao atravessar o Oceano Pacífico a bordo de um catamarã, uma embarcação parecida com uma balsa (leia mais sobre essa expedição no blog da dupla), a dupla aprende a conviver com a escassez. Entre outros, a energia é mínima, vinda de painéis solares. E a água é a do mar, filtrada por um dínamo que exige força física da dupla.

A travessia começou em outubro, no Chile, tem uma pausa agora e retorna em abril, quando Belly e Pandiano retornam ao Tahiti para chegar à Austrália. Ao todo, a velejada é de 17.400. Leia mais detalhes sobre a travessia e as lições de sustentabilidade a bordo na reportagem que escrevi para Planeta Sustentável, site mantido pela editora Abril e comandado pela Mônica Nunes, que brilhantemente vem mostrando dicas, idéias e notícias positivas sobre como ajudar o planeta.

Para quem é educador, especialmente no ensino médio, fica a dica: que tal uma aula sobre mitigação e …

São Paulo ganha Política Estadual de Educação Ambiental

O estado de São Paulo agora tem a sua Política Estadual de Educação Ambiental que, na prática, vai ajudar a organizar as estratégias de educação ambiental que forem organizadas no território paulista. A Lei Estadual 12.780/2007 (que você pode acessar pelo site da Assembléia, que institui a política, foi aprovada no começo de dezembro, com alguns vetos dos artigos considerados “insconstitucionais ou que ferem a autonomia dos poderes” (leia sobre os vetos no final da matéria).A política conceitua a educação ambiental de maneira mais ampla, preocupada não apenas com o meio ambiente e a natureza, mas ligada à qualidade de vida e a questões sociais. No texto, a definição de EA engloba "os processos permanentes de aprendizagem e formação individual e coletiva para reflexão e construção de valores, saberes, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências, visando a melhoria da qualidade de vida e uma relação sustentável da sociedade humana com o ambiente que integra". A lei de …

Concurso sobre biodiversidade da Amazônia no celular

Está aí uma idéia para se fazer campanhas de conscientização com a mídia mais acessada pelos adolescentes: sim, o celular

O Instituto Amazônia Celular promove, nos estados onde atende (só os do Norte), um concurso que vai premiar quem criar vídeos e fotos sobre o tema "Biodiversidade e Diversidade Cultural da Amazônia". Detalhe: é preciso criar esses produtinhos que caibam na tela do celular.

Funciona assim: você se inscreve, recebe na forma de torpedos um tag - palavra que deve inspirar a sua criação, como "saberes" ou "ecossistemas".

As inscrições terminam dia 6 de dezembro. Acesse o site da Imagetag, empresa que está produzindo esse concurso. Dá para conferir alguns trabalhos feitos para outro cliente, a Telemig.

A idéia é interessante para dar um agito na sala de aula - ou fora dela. É só você associar a brincadeira-concurso a um trabalho escrito, por exemplo. Tenho certeza que a garotada vai gostar!