Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2007

Calendário de eventos em educação ambiental

Anote na agenda:

19 e 20 de maio 2007
Itanhaém (SP)
III Encontro de Educação Ambiental da Baixada Santista
Infs.: inscriacaoreabs@gmail.com e tel. (13) 3421-1700

25 a 28 de julho 2007
São José do Rio Preto – SP
III Encontro Estadual de Educação Ambiental
Infs.: msiqueiralopes04@yahoo.com.br

24 a 27 setembro 2007
Santiago de Compostela, Galícia (Espanha)
Congresso da Educação Ambiental Lusófona
Infs.: http://www.ealusofono.org/

14 a 17 de outubro 2007
Hotel Hitz – Maceió (AL)
II Encontro Nordestino de EA
Infs.: Alwalnyce Miranda - Coordenadora de Educação Ambiental da SEE/AL
Telefones (82) 3315-1216 / 9983-4620 / 9987-8113
wmvvambiental@yahoo.com.br

Outubro 2007
UFMT, Cuiabá (MT)
V Encontro da REMTEA/Encontro de Juventude pelo Meio Ambiente do Centro-Oeste
Infs.: http://www.ufmt.br/remtea/

14 a 18 novembro 2007
UFRJ, Rio de Janeiro (RJ)
VI Fórum Brasileiro de EA
Infs.: http://www.ecomarapendi.org.br/Rebea/index.htm

Dia do Índio de verdade

Com alguns dias de atraso compartilho com vocês esse flagrante de uma viagem que fiz pela região de Parintins, beira do rio Amazonas (AM). Em pleno Dia do Índio, as crianças da Escola Estadual Ryota Oyama tiveram a oportunidade de assistir a uma apresentação indígena de verdade, com membros de uma família saterê-mawé - 517 deles vivem na cidade. Uma coisa me chamou a atenção: primeiro, a escola passou alguns meses trabalhando o tema do índio, quem são eles, o que representam para a comunidade, que problemas enfrentam. Assim, a apresentação teve um sentido maior; não foi apenas o de ver o exótico, mas o de desenvolver o olhar de respeito para um povo que parece tão diferente, mas na verdade compõe o meio tão rico da Amazônia.

Não vou falar em racismo, mas em preconceito. Índios sofrem tanto quanto os negros em algumas de nossas paragens. Mesmo nessa escola de Parintins, onde a maioria dos alunos é de mestiços, muitos deles perguntavam aos saterés "se eles eram índios mesmo". …

Mudanças climáticas: a chance de fazer uma leitura crítica da imprensa

A leitura crítica da mídia é uma técnica que pode auxiliar os educadores nas questões globais, especialmente no que se refere ao tema meio ambiente. Não dá para ignorar que os meios de comunicação interferem diretamente na nossa visão de mundo, pois basicamente é através deles que descobrimos o que está acontecendo, mas é difícil não se confundir com os fatos como nos são apresentados.

Por isso, você que é professor, tem que ler muuuuito sobre a questão climática até encontrar reportagens que proporcionam uma visão diferenciada sobre o tema. Como a Reportagem Exclusiva do site Rits – Revista do Terceiro Setor.
Painel Intergovernamental Sobre Mudanças Climáticas (IPCC). Dados alarmantes a parte – é certo que o planeta está mudando, com temperaturas subindo e perspectivas negativas que vão interferir na vida de todo mundo – na reportagem o professor de física Paulo Artaxo comenta: “não faz nenhum sentido levar pânico à população, em vez de fazer um trabalho educativo, indicando que é nece…