Pular para o conteúdo principal

Encontro de educomunicação no VII Fórum de EA

Será um encontro e tanto: conseguimos juntar Ismar de Oliveira Soares (do NCE-USP), Grácia Lopes Lima (do Instituto Gens/Cala-Boca Já Morreu), Silvio Marchini (Escola da Amazônia), Renata Maranhão (Ministério do Meio Ambiente) e Lara Moutinho (do programa Nas Ondas do Ambiente, do Rio de Janeiro). Essa turma vai participar, entre 28 e 29 de março, do encontro paralelo de educomunicação do VII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, evento que ocorre de 28 a 31 de março no Centro de Convenções, em Salvador.

Cada um desses vai falar um pouco sobre um aspecto da educomunicação e vamos fazer a ponte com a educação ambiental. Esperamos que quem abra o evento sejam os grupos de comunicação comunitária do Extremo Sul da Bahia, o Tanara, de Prado, e o Timoneiro, de Caravelas (a confirmar).

A idéia é: no primeiro dia de manhã, trazer um panorama a partir dos palestrantes, sobre a educomunicação no Brasil; na tarde do dia 28, abrir o microfone para inscrição de experiências de educom dos presentes. E no dia 29, todos irão construir um documento-base coletivo pra avançar no debate sobre o tema, que ganhou força dentro da área de educação com os esforços não só de quem trabalha e estuda a área, mas também das políticas públicas. Porém, mesmo com programas de educomunicação aparecendo em leis (como a Política de Educação Ambiental do Estado da Bahia), há muito que discutir

É o que vamos fazer no fórum! Esperamos, também, fortalecer uma grande rede de articulação entre educomunicadores para, num futuro (de preferência não muito distante), organizar um evento temático só sobre educomunicação e comunicação ambiental, e pensar outras estratégias pra avançar nesse campo!

Em tempo: estão rolando várias parcerias para viabilizar esse encontro. As jornalistas de formação (e educadoras também), Sucena Resk, Camila Doretto, Daniele Próspero e a bióloga (e educadora) Vívian Battaini serão facilitadoras comigo, no encontro.

Haverá também uma cobertura educomunicativa, com a garotada de escolas públicas de Salvador, com apio do Núcleo de Pesquisa em Educação Ambiental da Universidade Federal da Bahia (NEPEA-UFBA), e ongs Cipó Comunicação Interativa e Pracatum. Acompanhe pelo blog da cobertura.

Esperamos vocês!

Débora Menezes
Organizadora do encontro de educomunicação e elo da Rede de Educação Ambiental da Bahia (REABA)




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Desenhos animados ajudam a trabalhar a educação ambiental

Educomunicação é também fazer a leitura crítica da mídia. E tirar dela reflexões para o dia-a-dia, construindo e aumentando o repertório, também, nos eixos temáticos da educação ambiental. A excelente reportagem Faz-de-Conta de Verdade, publicada na revista Página 22, convida a pensar sobre a abordagem ambiental dos desenhos animados, do clássico Bambi a Bee Movie (a abelha inteligente da foto).

Entre os entrevistados da matéria, uma professora da Eastern Illinois University, Robin Murray, as temáticas ligadas à natureza que aparecem em diversos desenhos são, claro, reflexo de nossa cultura atual, onde a problemática ambiental não sai da mídia. Se passam mensagens positivas e fazem efeito sobre a audiência – a garotada e os adultos, que às vezes gostam mais dos desenhos do que as próprias crianças – há controvérsias. Mas muitos educadores acham positivo provocar uma discussão sobre meio ambiente, especialmente com os pequenos, a partir da audição de um desenho animado na escola.

Como o…

Parábola da escola animal

Texto inteligente do filósofo Osho, publicado no blog Palavras de Osho. É para se pensar...

"Um amigo me enviou esta linda história. Eu gostaria que você a conhecesse; ela pode ajudar. A história se intitula "A Escola Animal".

Um dia os animais se reuniram na floresta e decidiram criar uma escola.Havia um coelho, um pássaro, um esquilo, um peixe e uma enguia, e eles formaram uma Diretoria.

O coelho insistiu na inclusão da corrida no currículo. O pássaro insistiu na inclusão do voo no currículo. O peixe insistiu na inclusão da natação no currículo. E o esquilo disse que a subida perpendicular em árvores era absolutamente necessária ao currículo.

Eles juntaram todas essas coisas e escreveram um roteiro do currículo. Então insistiram em que todos os animais aprendessem todas as matérias.

O coelho, embora tirasse um "A" em corrida, teve uma enorme dificuldade em subida perpendicular em árvores. Ele sempre caía de costas. Logo ele teve um tipo de dano cerebral e não …

Quadrinhos, um jeito divertido de ensinar meio ambiente

A tirinha acima faz parte do projeto Edu HQ, mantido pelo Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, e mantém um acervo com centenas de quadrinhos e pequenas animações, muitas delas feitas por crianças. No item meio ambiente há 173 tirinhas como essa.

Trabalhar com quadrinhos na sala de aula e no dia-a-dia é uma viagem... pois a partir da brincadeira é possível levantar vários pontos: refletir sobre o recurso de linguagem, o humor, a ironia, pesquisar o que o autor quis dizer, o que há por trás da história.

Já para quem é "gente grande", quadrinhos são sempre um respiro no dia-a-dia... e também ajudam a pensar!