Pular para o conteúdo principal

Encontro de educomunicação no VII Fórum de EA

Será um encontro e tanto: conseguimos juntar Ismar de Oliveira Soares (do NCE-USP), Grácia Lopes Lima (do Instituto Gens/Cala-Boca Já Morreu), Silvio Marchini (Escola da Amazônia), Renata Maranhão (Ministério do Meio Ambiente) e Lara Moutinho (do programa Nas Ondas do Ambiente, do Rio de Janeiro). Essa turma vai participar, entre 28 e 29 de março, do encontro paralelo de educomunicação do VII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, evento que ocorre de 28 a 31 de março no Centro de Convenções, em Salvador.

Cada um desses vai falar um pouco sobre um aspecto da educomunicação e vamos fazer a ponte com a educação ambiental. Esperamos que quem abra o evento sejam os grupos de comunicação comunitária do Extremo Sul da Bahia, o Tanara, de Prado, e o Timoneiro, de Caravelas (a confirmar).

A idéia é: no primeiro dia de manhã, trazer um panorama a partir dos palestrantes, sobre a educomunicação no Brasil; na tarde do dia 28, abrir o microfone para inscrição de experiências de educom dos presentes. E no dia 29, todos irão construir um documento-base coletivo pra avançar no debate sobre o tema, que ganhou força dentro da área de educação com os esforços não só de quem trabalha e estuda a área, mas também das políticas públicas. Porém, mesmo com programas de educomunicação aparecendo em leis (como a Política de Educação Ambiental do Estado da Bahia), há muito que discutir

É o que vamos fazer no fórum! Esperamos, também, fortalecer uma grande rede de articulação entre educomunicadores para, num futuro (de preferência não muito distante), organizar um evento temático só sobre educomunicação e comunicação ambiental, e pensar outras estratégias pra avançar nesse campo!

Em tempo: estão rolando várias parcerias para viabilizar esse encontro. As jornalistas de formação (e educadoras também), Sucena Resk, Camila Doretto, Daniele Próspero e a bióloga (e educadora) Vívian Battaini serão facilitadoras comigo, no encontro.

Haverá também uma cobertura educomunicativa, com a garotada de escolas públicas de Salvador, com apio do Núcleo de Pesquisa em Educação Ambiental da Universidade Federal da Bahia (NEPEA-UFBA), e ongs Cipó Comunicação Interativa e Pracatum. Acompanhe pelo blog da cobertura.

Esperamos vocês!

Débora Menezes
Organizadora do encontro de educomunicação e elo da Rede de Educação Ambiental da Bahia (REABA)




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Desenhos animados ajudam a trabalhar a educação ambiental

Educomunicação é também fazer a leitura crítica da mídia. E tirar dela reflexões para o dia-a-dia, construindo e aumentando o repertório, também, nos eixos temáticos da educação ambiental. A excelente reportagem Faz-de-Conta de Verdade, publicada na revista Página 22, convida a pensar sobre a abordagem ambiental dos desenhos animados, do clássico Bambi a Bee Movie (a abelha inteligente da foto).

Entre os entrevistados da matéria, uma professora da Eastern Illinois University, Robin Murray, as temáticas ligadas à natureza que aparecem em diversos desenhos são, claro, reflexo de nossa cultura atual, onde a problemática ambiental não sai da mídia. Se passam mensagens positivas e fazem efeito sobre a audiência – a garotada e os adultos, que às vezes gostam mais dos desenhos do que as próprias crianças – há controvérsias. Mas muitos educadores acham positivo provocar uma discussão sobre meio ambiente, especialmente com os pequenos, a partir da audição de um desenho animado na escola.

Como o…

Para falar de meio ambiente com as crianças

Despertar o prazer pela leitura e, ao mesmo tempo, passar uma mensagem positiva sobre a natureza, também com prazer. Isso é possível? Para o músico Tino Freitas, do projeto Roedores de Livros, com certeza...

Escrevi sobre o trabalho voluntário do Tino e mais seis "roedores de livros" em Ceilândia (DF) para um especial de leitura da revista Nova Escola. Postei aqui no blog um pouco sobre seu trabalho de contar histórias, ensinar música e arte... e pedi a eles dicas de leitura que tenham a ver com meio ambiente. Olha só o que o Tino nos mandou:
"Dia desses recebemos o convite da Débora Menezes, que cuida com muito carinho do blog Educom Verde, para escrevermos sobre Literatura Infantil, convidando os educadores ambientais a promover a educação ambiental por meio da leitura. Vale à pena explicar que o nosso projeto, o Roedores de Livros, oferece a um grupo de crianças no entorno de Brasília o contato com os livros. Acreditamos que o contato com a Literatura Infantil é uma i…

Quadrinhos, um jeito divertido de ensinar meio ambiente

A tirinha acima faz parte do projeto Edu HQ, mantido pelo Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, e mantém um acervo com centenas de quadrinhos e pequenas animações, muitas delas feitas por crianças. No item meio ambiente há 173 tirinhas como essa.

Trabalhar com quadrinhos na sala de aula e no dia-a-dia é uma viagem... pois a partir da brincadeira é possível levantar vários pontos: refletir sobre o recurso de linguagem, o humor, a ironia, pesquisar o que o autor quis dizer, o que há por trás da história.

Já para quem é "gente grande", quadrinhos são sempre um respiro no dia-a-dia... e também ajudam a pensar!