Pular para o conteúdo principal

Escrita educomunicativa pode inspirar novos projetos

Vi no site do Departamento de Comunicações e Artes da ECA/USP e reproduzo integralmente. Espero que inspire novos projetos... há algum tempo comento com colegas de editoras e de instituições socioambientais que vale a pena investir em publicações com metodologia educomunicativa, isto é, que pessoas dito "comuns" participem da pauta a produção efetiva de textos e fotografias. 

Imagine um guia de turismo feito pelos próprios moradores de um município... ou ainda publicações de educação ambiental elaboradas a partir de sugestões e participações efetivas das comunidades locais. Enquanto imaginamos, já tem gente fazendo experiências do gênero. Confira:

Prêmio Funarte - Educomunicação

O jornalista, escritor e professor Edvaldo Pereira Lima, acaba de ganhar o Prêmio Nacional da Funarte por um obra que ele mesmo considera "educomunicativa": "Há algo de um certo lado da educomunicação no projeto: o uso de ferramentas narrativas da comunicação de massa contemporânea (particularmente elementos do Jornalismo Literário) num processo sócio-educativo-cultural", declarou o professor ao receber a notícia do prêmio. Trata-se, na verdade, de um projeto ancorado no método "Escrita Total de redação espontânea", por ele desenvolvido.

Confira os detalhes do projeto e do prêmio

Método de redação espontânea criado pelo escritor, jornalista e professor universitário Edvaldo Pereira Lima, Escrita Total é o eixo de um projeto cultural pioneiro contemplado pelo programa Prêmio Interações Estéticas – Residências Artísticas em Pontos de Cultura da Funarte, órgão do Ministério da Cultura. “Escrita Total: Histórias Espontâneas de Sustentabilidade, Superação e a Arte de Viver”, proposto pelo próprio criador do método, é um dos vencedores do Prêmio edição 2010, categoria Abrangência Nacional, aprovado para realização a partir de janeiro de 2011.

Serão seis meses de atividades no Ponto de Cultura “Laboratório de Poéticas” de Diadema, na Grande São Paulo, com 20 vagas disponíveis para participação presencial e 20 para participação online , gratuita em ambos os casos. “Os participantes serão instrumentalizados a escrever com ferramentas intelectuais do método Escrita Total, ancorando os textos produzidos em um ou mais dos três grupos temáticos – Sustentabilidade, Superação e a Arte de Viver -, sempre a partir de histórias fortemente inspiradas em figuras humanas e casos de suas comunidades”, comenta o autor.

“O projeto oferece uma oportunidade singular de democratização cultural e empoderamento das pessoas através da arte narrativa, graças ao apoio do Prêmio, contribuindo tanto para a melhoria da autoestima quanto para a inspiração transformadora da sociedade”, continua. “Como uma pedrinha lançada ludicamente na superfície de um lago, a intenção é provocar ondas e reverberações que se espalhem, sensibilizando adultos e jovens, homens e mulheres, para atitudes proativas cidadãs. A beleza estética da escrita é colocada em sintonia com o propósito da ampliação de consciência”, completa. Quatro modalidades de textos poderão ser desenvolvidas pelos participantes: conto, poesia, ensaio pessoal e narrativa de não ficção.
O projeto prevê a publicação de um livro, reunindo os melhores textos. Multiplicadores sociais, como professores, são algumas das pessoas visadas pelo projeto, mas poderão participar interessados em geral, com requisitos mínimos de 16 anos de idade, escolaridade de nível primário. As inscrições estarão abertas em breve online no site – www.labpoeticas.org – do Laboratório de Poéticas. O calendário de atividades, com cerca de duas oficinas por mês, será anunciado nos próximos dias.

Edvaldo Pereira Lima é professor (aposentado) da Universidade de São Paulo, cofundador e vice-presidente da Academia Brasileira de Jornalismo Literário, autor de oito livros, dentre os quais Páginas Ampliadas: O Livro-Reportagem Como Extensão do Jornalismo e da Literatura (editora Manole, 2009) e Jornalismo Literário Para Iniciantes (sistema editorial Clube de Autores, 2010). Seu método Escrita Total está publicado em livro em dois formatos: versão de um só volume no sistema editorial Clube de Autores - e versão em três volumes no sistema editorial AgBook, edições respectivas de 2009 e 2010.

O Ponto de Cultura “Laboratório de Poéticas” tem sede na Biblioteca Olíria de Campos Barros, de Diadema. É uma iniciativa da Secretaria Municipal de Cultura, em conjunto com escritores, pesquisadores e artistas em produções independentes e comunitárias, que se reúnem há mais de uma década. Entre suas realizações, ciclos de poesia, filosofia (em parceria com o Núcleo Le Hasard, entidade cultural da cidade que também é Ponto de Cultura), produções de antologias, publicações de cadernos culturais, pesquisas de cordel e espetáculos artísticos. Multicultural por opção, dirigido por voluntários, com ações voltadas tanto a minorias quanto a multiplicadores culturais, definese como “visceralmente ligado a um setor populacional entusiasmado pelo ler e pelo escrever”.

O projeto Escrita Total: Histórias Espontâneas de Sustentabilidade, Superação e a Arte de Viver , contemplado pelo Prêmio Interações Estéticas – Residências Artísticas em Pontos de Cultura 2010, conta com o apoio do Ministério da Cultura, da Secretaria de Cidadania Cultural, do Programa Mais Cultura, do Programa Cultura Viva e da Fundação Nacional das Artes.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Desenhos animados ajudam a trabalhar a educação ambiental

Educomunicação é também fazer a leitura crítica da mídia. E tirar dela reflexões para o dia-a-dia, construindo e aumentando o repertório, também, nos eixos temáticos da educação ambiental. A excelente reportagem Faz-de-Conta de Verdade, publicada na revista Página 22, convida a pensar sobre a abordagem ambiental dos desenhos animados, do clássico Bambi a Bee Movie (a abelha inteligente da foto).

Entre os entrevistados da matéria, uma professora da Eastern Illinois University, Robin Murray, as temáticas ligadas à natureza que aparecem em diversos desenhos são, claro, reflexo de nossa cultura atual, onde a problemática ambiental não sai da mídia. Se passam mensagens positivas e fazem efeito sobre a audiência – a garotada e os adultos, que às vezes gostam mais dos desenhos do que as próprias crianças – há controvérsias. Mas muitos educadores acham positivo provocar uma discussão sobre meio ambiente, especialmente com os pequenos, a partir da audição de um desenho animado na escola.

Como o…

Para falar de meio ambiente com as crianças

Despertar o prazer pela leitura e, ao mesmo tempo, passar uma mensagem positiva sobre a natureza, também com prazer. Isso é possível? Para o músico Tino Freitas, do projeto Roedores de Livros, com certeza...

Escrevi sobre o trabalho voluntário do Tino e mais seis "roedores de livros" em Ceilândia (DF) para um especial de leitura da revista Nova Escola. Postei aqui no blog um pouco sobre seu trabalho de contar histórias, ensinar música e arte... e pedi a eles dicas de leitura que tenham a ver com meio ambiente. Olha só o que o Tino nos mandou:
"Dia desses recebemos o convite da Débora Menezes, que cuida com muito carinho do blog Educom Verde, para escrevermos sobre Literatura Infantil, convidando os educadores ambientais a promover a educação ambiental por meio da leitura. Vale à pena explicar que o nosso projeto, o Roedores de Livros, oferece a um grupo de crianças no entorno de Brasília o contato com os livros. Acreditamos que o contato com a Literatura Infantil é uma i…

Quadrinhos, um jeito divertido de ensinar meio ambiente

A tirinha acima faz parte do projeto Edu HQ, mantido pelo Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, e mantém um acervo com centenas de quadrinhos e pequenas animações, muitas delas feitas por crianças. No item meio ambiente há 173 tirinhas como essa.

Trabalhar com quadrinhos na sala de aula e no dia-a-dia é uma viagem... pois a partir da brincadeira é possível levantar vários pontos: refletir sobre o recurso de linguagem, o humor, a ironia, pesquisar o que o autor quis dizer, o que há por trás da história.

Já para quem é "gente grande", quadrinhos são sempre um respiro no dia-a-dia... e também ajudam a pensar!