Pular para o conteúdo principal

Boi x Mudanças Climáticas: um contraponto

Saiu hoje (13/03/2008) um texto do jornalista Washington Novaes no jornal O Estado de São Paulo, sobre a questão dos bois e do aquecimento global.

Mitos e estranhezas a parte, ele lembra que é verdade: arrotos e flatulência (o pum) de animais como bois e ovelhas trazem gás metano, que em grandes quantidades pode ser mais danoso que o dióxido de carbono, apontado como grande contribuinte ao efeito estufa e, consequentemente, ao aquecimento global.


Estamos na era do excesso de informações, sobretudo relacionadas ao meio ambiente. O secretário de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Xico Graziano, fez até piada sobre isso durante um evento do site Planeta Sustentável, lembrando que há muitos achismos nessa área. Entretanto, uma coisa é certa: sem investimentos em tecnologia não há como enfrentar as Mudanças Climáticas de verdade - deixar de comer carne simplesmente não é suficiente, assim como diversas outras posturas individuais não o são, sozinhas.

Washington Novaes lembra que o Emprapa de Jaguariúna, por exemplo, é uma instituição de pesquisa que está preocupada em dar uma solução: eles pesquisam variedades de capim para pasto que produzem menos metano.

Recursos tecnológicos e incentivo para isso foram os principais temas levantados pelo estudo da consultoria Mckinsey. Para eles, o Brasil tem potencial para ser um dos líderes na redução de emissões. Embora a apresentação do estudo tenha sido bem técnica e focada em números, dá para perceber que ainda há muito o que avançar, comendo seu bife de cada dia, ou não...

- Leia mais sobre o estudo da Mckinsey no especial do site Planeta Sustentável.
- Clique aqui para ler o texto de Washington Novaes: O Boi e a Ovelha.


Comentários

Olá Débora! Está lindo o blog! Sou professora de espanhol, mas acho fundamental a educação ambiental, pois acredito que deve fazer parte da vida de todos nós! Comunique, divulgue e vamos cuidar mais e melhor do lugar onde vivemos!!!!! Passarei por aqui sempre para ler as niovidades.
Muita força e beijos,
Julieta (do grupo de Blogs Educativos)
Olá Débora! Está lindo o blog! Sou professora de espanhol, mas acho fundamental a educação ambiental, pois acredito que deve fazer parte da vida de todos nós! Comunique, divulgue e vamos cuidar mais e melhor do lugar onde vivemos!!!!! Passarei por aqui sempre para ler as niovidades.
Muita força e beijos,
Julieta (do grupo de Blogs Educativos)
Luz Fernández disse…
Oi Debora. Td bom? Voltei a bloggar depois de uma longa pausa. Muito mais por motivos de limitação de conexão do que por falta de assunto.

Bom, quanto ao tema, tenho lido e assistido muito, pois sou vegetariana há quase 3 décadas. Para contribuir com a discussão, vale assistir ao documentário Meat the Truth, que é uma resposta ao Uma Verdade Inconveniente, que deixou de lado a contribuição da indústria agropecuária ao agravamento da crise climática:

http://vista-se.com.br/site/meet-the-truth-uma-verdade-mais-que-inconveniente

E viva a pluralidade de vozes, sempre.

Eco_sds.

Luz
Profª Thaiza disse…
Presentinho pra você lá no QUIMILOKOS!
[]'s

Postagens mais visitadas deste blog

Desenhos animados ajudam a trabalhar a educação ambiental

Educomunicação é também fazer a leitura crítica da mídia. E tirar dela reflexões para o dia-a-dia, construindo e aumentando o repertório, também, nos eixos temáticos da educação ambiental. A excelente reportagem Faz-de-Conta de Verdade, publicada na revista Página 22, convida a pensar sobre a abordagem ambiental dos desenhos animados, do clássico Bambi a Bee Movie (a abelha inteligente da foto).

Entre os entrevistados da matéria, uma professora da Eastern Illinois University, Robin Murray, as temáticas ligadas à natureza que aparecem em diversos desenhos são, claro, reflexo de nossa cultura atual, onde a problemática ambiental não sai da mídia. Se passam mensagens positivas e fazem efeito sobre a audiência – a garotada e os adultos, que às vezes gostam mais dos desenhos do que as próprias crianças – há controvérsias. Mas muitos educadores acham positivo provocar uma discussão sobre meio ambiente, especialmente com os pequenos, a partir da audição de um desenho animado na escola.

Como o…

Para falar de meio ambiente com as crianças

Despertar o prazer pela leitura e, ao mesmo tempo, passar uma mensagem positiva sobre a natureza, também com prazer. Isso é possível? Para o músico Tino Freitas, do projeto Roedores de Livros, com certeza...

Escrevi sobre o trabalho voluntário do Tino e mais seis "roedores de livros" em Ceilândia (DF) para um especial de leitura da revista Nova Escola. Postei aqui no blog um pouco sobre seu trabalho de contar histórias, ensinar música e arte... e pedi a eles dicas de leitura que tenham a ver com meio ambiente. Olha só o que o Tino nos mandou:
"Dia desses recebemos o convite da Débora Menezes, que cuida com muito carinho do blog Educom Verde, para escrevermos sobre Literatura Infantil, convidando os educadores ambientais a promover a educação ambiental por meio da leitura. Vale à pena explicar que o nosso projeto, o Roedores de Livros, oferece a um grupo de crianças no entorno de Brasília o contato com os livros. Acreditamos que o contato com a Literatura Infantil é uma i…

Educação Ambiental e Comunicação em UCs: tema de dissertação

No dia 21 de agosto de 2015, finalmente apresentei minha dissertação de mestrado "Comunicação e Mobilização na Gestão Participativa de Unidades de Conservação: o Caso da APA da Serra da Mantiqueira", junto ao Laboratório de Jornalismo Avançado da Universidade Estadual de Campinas (Labjor-Unicamp). Tendo o professor Ismar Soares, do Núcleo de Comunicação e Educação da Universidade de São Paulo (NCE-USP) em minha banca, fiquei bastante feliz com suas palavras indicando que "a Educomunicação passa a contar, a partir desta pesquisa, com um importante suporte bibliográfico para entender a área da gestão comunicativa".

A pesquisa foi orientada pela professora Maria das Graças Conde Caldas, jornalista das antigas que também se debruça sobre a relação entre os campos da Educação e da Comunicação. Inquieta com minhas práticas profissionais de Educomunicação, onde muitas vezes vi essa área resumir-se a metodologias e ferramentas midiáticas de suporte para cursos de Educação…