Pular para o conteúdo principal

A Carta da Terra e o Universo: entrevista educomunicativa

Pedro Henrique Paixão de Souza (na foto, entrevistando o físico Walmir Cardoso) é aluno de sexta série da EMEF Fernando Gracioso, no bairro de Perus (São Paulo) e participa do projeto Nas Ondas do Rádio, que é mantido pela Prefeitura de São Paulo e trabalha a educomunicação na sala de aula.

Ele participou do Encontro Carta da Terra e Pedagogia na Educação, no Ibirapuera, fazendo a cobertura educomunicativa do evento – textos, fotos, filmagens e gravações se transformam em boletins de rádio, videoclips e posts no blog da escola.

Para se preparar, Pedro leu livros e materiais sobre a
Carta da Terra e a educação ambiental, temas abordados durante o evento. Ficou encantado com um dos livros, que fala de fenômenos da natureza que o professor de Ciências ainda não falou na sala de aula.

Além de ler mais e conhecer o que ainda não aprendeu na escola, Pedro diz que o que mais gosta nas atividades nessas atividades é a vivência na comunicação. “Quero ser professor e sei que vou usar tudo isso no meu dia-a-dia”, diz, do alto de seus 12 anos.

Pedro entrevistou o físico
Walmir Thomazi Cardoso, especialista em História da Ciência que promove cursos para professores no Planetário Aristóteles Orsini, do Ibirapuera. Cardoso fez uma palestra para os educadores presentes no evento sobre a Carta da Terra, e mostrou uma conexão importante entre o planeta e o universo.

“Somos feitos da mesma matéria das estrelas, e é por isso que não somos externos ao universo, somos parte dele. Temos que nos inserir no universo, e é por isso que nossa responsabilidade atual é enorme”, disse Cardoso.

Acompanhe a entrevista feita por Pedro com o professor Cardoso:

O que é a Carta da Terra?
A Carta da terra é em si um manifesto. Mas mais do que isso, mais do que um manifesto. É inspiradora pra trabalhar com educação e meio ambiente, educação, o planeta e a totalidade do universo.

Qual a importância da Carta da Terra?
É um documento que inspira as pessoas a criarem novas soluções, novos tipos de abordagem, novos olhares, novas maneiras de fazer aquilo que a gente já faz, que é viver no planeta Terra, viver em harmonia com os outros seres do planeta e com o próprio Planeta. Essa é fundamentalmente a grande inspiração que a Carta da tewrra traz.

E o que o senhor acha sobre educação ambiental?

A educação ambiental já passou por várias etapas, fases de desenvolvimento. Estampos agora no amadurecimento desse processo. E nesse sentido a Carta da Terra também é importante, porque nos ajuda a ser criativo diante dos desafios com relação ao ambiente como um todo, não só o ambiente terrestre mas, pensando em termos de astronomia, todo o ambiente, todo o universo.

Comentários

ekalafabio disse…
A matéria está ótima e a imagem escolhida foi muito bem escolhida. Estou adorando seu blog e espero que possamos fazer novas parcerias.
Anônimo disse…
Parabéns pelo trabalho maravilhoso, quero parabenizar também aos alunos pela entrevista e ao prof. Fábio por motivá-los na educação ambiental. Maravilhoso blog, amei.

Postagens mais visitadas deste blog

Desenhos animados ajudam a trabalhar a educação ambiental

Educomunicação é também fazer a leitura crítica da mídia. E tirar dela reflexões para o dia-a-dia, construindo e aumentando o repertório, também, nos eixos temáticos da educação ambiental. A excelente reportagem Faz-de-Conta de Verdade, publicada na revista Página 22, convida a pensar sobre a abordagem ambiental dos desenhos animados, do clássico Bambi a Bee Movie (a abelha inteligente da foto).

Entre os entrevistados da matéria, uma professora da Eastern Illinois University, Robin Murray, as temáticas ligadas à natureza que aparecem em diversos desenhos são, claro, reflexo de nossa cultura atual, onde a problemática ambiental não sai da mídia. Se passam mensagens positivas e fazem efeito sobre a audiência – a garotada e os adultos, que às vezes gostam mais dos desenhos do que as próprias crianças – há controvérsias. Mas muitos educadores acham positivo provocar uma discussão sobre meio ambiente, especialmente com os pequenos, a partir da audição de um desenho animado na escola.

Como o…

Para falar de meio ambiente com as crianças

Despertar o prazer pela leitura e, ao mesmo tempo, passar uma mensagem positiva sobre a natureza, também com prazer. Isso é possível? Para o músico Tino Freitas, do projeto Roedores de Livros, com certeza...

Escrevi sobre o trabalho voluntário do Tino e mais seis "roedores de livros" em Ceilândia (DF) para um especial de leitura da revista Nova Escola. Postei aqui no blog um pouco sobre seu trabalho de contar histórias, ensinar música e arte... e pedi a eles dicas de leitura que tenham a ver com meio ambiente. Olha só o que o Tino nos mandou:
"Dia desses recebemos o convite da Débora Menezes, que cuida com muito carinho do blog Educom Verde, para escrevermos sobre Literatura Infantil, convidando os educadores ambientais a promover a educação ambiental por meio da leitura. Vale à pena explicar que o nosso projeto, o Roedores de Livros, oferece a um grupo de crianças no entorno de Brasília o contato com os livros. Acreditamos que o contato com a Literatura Infantil é uma i…

Educação Ambiental e Comunicação em UCs: tema de dissertação

No dia 21 de agosto de 2015, finalmente apresentei minha dissertação de mestrado "Comunicação e Mobilização na Gestão Participativa de Unidades de Conservação: o Caso da APA da Serra da Mantiqueira", junto ao Laboratório de Jornalismo Avançado da Universidade Estadual de Campinas (Labjor-Unicamp). Tendo o professor Ismar Soares, do Núcleo de Comunicação e Educação da Universidade de São Paulo (NCE-USP) em minha banca, fiquei bastante feliz com suas palavras indicando que "a Educomunicação passa a contar, a partir desta pesquisa, com um importante suporte bibliográfico para entender a área da gestão comunicativa".

A pesquisa foi orientada pela professora Maria das Graças Conde Caldas, jornalista das antigas que também se debruça sobre a relação entre os campos da Educação e da Comunicação. Inquieta com minhas práticas profissionais de Educomunicação, onde muitas vezes vi essa área resumir-se a metodologias e ferramentas midiáticas de suporte para cursos de Educação…