Pular para o conteúdo principal

Roedores de livros, esperança na humanidade


Sabe aqueles dias (e não são de TPM) acha que tudo é difícil, que nenhum projeto seu educação, ambiental ou não, vai dar certo - e aí chega uma injeção de esperança quando você vê gente trabalhando pra vida melhorar?

É essa a sensação que tive hoje ao conhecer o Projeto Roedores de Livros, um jeito diferente de apelidar os "ratos de biblioteca" que adoram. Trata-se de uma turma de sete "ratinhos", que desenvolvem um trabalho voluntário de incentivo a leitura em Ceilândia, no entorno carente e problemático de Brasília (DF). Aos sábados, eles promovem rodas de leitura, contando histórias para cerca de 30 crianças da região, entre sete e nove anos. A idéia é contaminar essa garotada, transformando-os em novos roedores que vão encarar a leitura como um "arrego" pro dia-a-dia difícil, uma chance de escolha - e não uma obrigação, como muitos professores, intelectuais e pseudos tentam declarar.

Está funcionando. As crianças, segundo o pessoal do projeto, estão tomando gosto pela coisa. Além de escutar as historinhas da boca dos voluntários, elas podem levar livros do acervo (tudo doação) pra casa, numa sacola de pano. Aprendem a cuidar de um objeto tão precioso como o livro. E o que é melhor, sem usar as difamadas sacolinhas de plástico!

Educadores ambientais, professores, entrem no blog dessa turma e aprendam a lição. Saiam da teoria do mestrado e do doutorado, que são importantes mas, avancem! Os roedores avançaram e estão embutindo o prazer de ler na garotada. Vamos ter idéias, então, para embutir em nossas crianças o prazer de defender a natureza - a que parece estar fora de nós, mas precisa de uma vez por todas ser incorporada em nosso cotidiano.

Comentários

Querida Débora, que delícia ler seu depoimento sobre os Roedores de Livros. Todos ficamos rubros com suas palavras. Temos muito aprender com as crianças, mas - sim - colocamos a mão na massa,a voz nas histórias e não ficamos esperando a coisa acontecer. A preocupação ambiental é irmã da nossa "atividade"... pensamos, juntos, em um mundo melhor. E isso já vale a espera pelo dia seguinte. Deixo aqui o nosso sempre carinhoso abraço de letrinhas. Passaremos sempre para uma visita. Ana Paula Bernardes.
Claudia disse…
Oi Débora,

só passando por aqui para lhe desejar parabéns pelo blog, informativo e gostoso de ler! Estudo EA (pós latu sensu) pelo SENAC e fiquei cheia de boas idéias.

Obrigada, votos de sucesso, :-)
Claudia Leschonski

P.S: Adorei o termo "roedores de livros"!!

Postagens mais visitadas deste blog

Desenhos animados ajudam a trabalhar a educação ambiental

Educomunicação é também fazer a leitura crítica da mídia. E tirar dela reflexões para o dia-a-dia, construindo e aumentando o repertório, também, nos eixos temáticos da educação ambiental. A excelente reportagem Faz-de-Conta de Verdade, publicada na revista Página 22, convida a pensar sobre a abordagem ambiental dos desenhos animados, do clássico Bambi a Bee Movie (a abelha inteligente da foto).

Entre os entrevistados da matéria, uma professora da Eastern Illinois University, Robin Murray, as temáticas ligadas à natureza que aparecem em diversos desenhos são, claro, reflexo de nossa cultura atual, onde a problemática ambiental não sai da mídia. Se passam mensagens positivas e fazem efeito sobre a audiência – a garotada e os adultos, que às vezes gostam mais dos desenhos do que as próprias crianças – há controvérsias. Mas muitos educadores acham positivo provocar uma discussão sobre meio ambiente, especialmente com os pequenos, a partir da audição de um desenho animado na escola.

Como o…

Para falar de meio ambiente com as crianças

Despertar o prazer pela leitura e, ao mesmo tempo, passar uma mensagem positiva sobre a natureza, também com prazer. Isso é possível? Para o músico Tino Freitas, do projeto Roedores de Livros, com certeza...

Escrevi sobre o trabalho voluntário do Tino e mais seis "roedores de livros" em Ceilândia (DF) para um especial de leitura da revista Nova Escola. Postei aqui no blog um pouco sobre seu trabalho de contar histórias, ensinar música e arte... e pedi a eles dicas de leitura que tenham a ver com meio ambiente. Olha só o que o Tino nos mandou:
"Dia desses recebemos o convite da Débora Menezes, que cuida com muito carinho do blog Educom Verde, para escrevermos sobre Literatura Infantil, convidando os educadores ambientais a promover a educação ambiental por meio da leitura. Vale à pena explicar que o nosso projeto, o Roedores de Livros, oferece a um grupo de crianças no entorno de Brasília o contato com os livros. Acreditamos que o contato com a Literatura Infantil é uma i…

Quadrinhos, um jeito divertido de ensinar meio ambiente

A tirinha acima faz parte do projeto Edu HQ, mantido pelo Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, e mantém um acervo com centenas de quadrinhos e pequenas animações, muitas delas feitas por crianças. No item meio ambiente há 173 tirinhas como essa.

Trabalhar com quadrinhos na sala de aula e no dia-a-dia é uma viagem... pois a partir da brincadeira é possível levantar vários pontos: refletir sobre o recurso de linguagem, o humor, a ironia, pesquisar o que o autor quis dizer, o que há por trás da história.

Já para quem é "gente grande", quadrinhos são sempre um respiro no dia-a-dia... e também ajudam a pensar!