Pular para o conteúdo principal

Da ECO-92, 15 anos depois: ativismo jovem ainda é exemplo

A menina do video é Severn Cullis-Suzuki, jovem canadense de 28 anos, ativista ambiental desde os nove anos de idade e filha de cientistas. Aos nove, ela reuniu crianças para formar um grupo de discussão sobre temas ambientais; aos 12, fez o discurso profético do video para os participantes da ECO-92.

Hoje, Serven atua na educação para a sustentabilidade. Faz palestras, lidera grupos de discussão e escreveu livros como Tell the Word (Doubleday Edictors), onde dá dicas conscientes para famílias. E fez o site Skyfish Project, uma "revista de meio ambiente para jovens, feita por jovens" (http://www.earthfocus.org/Info%20Society%20articles/skyfish.htm).

Prova de que quando a garotada usa os meios de comunicação para mostrar a sua opinião e atingir outros jovens, é possível contribuir para disseminar a consciência socioambiental através do protagonismo juvenil.

Pura educomunicação... educar, através da comunicação, dando voz a quem até pouco tempo atrás, simplesmente só ficava do outro lado da carteira escolar.

Comentários

Ana Maria Gonzales disse…
Emocionante e atual! Para nós professores é um sopro de ânimo trabalhar pelo meio ambiente junto a nossas crianças.

Postagens mais visitadas deste blog

Desenhos animados ajudam a trabalhar a educação ambiental

Educomunicação é também fazer a leitura crítica da mídia. E tirar dela reflexões para o dia-a-dia, construindo e aumentando o repertório, também, nos eixos temáticos da educação ambiental. A excelente reportagem Faz-de-Conta de Verdade, publicada na revista Página 22, convida a pensar sobre a abordagem ambiental dos desenhos animados, do clássico Bambi a Bee Movie (a abelha inteligente da foto).

Entre os entrevistados da matéria, uma professora da Eastern Illinois University, Robin Murray, as temáticas ligadas à natureza que aparecem em diversos desenhos são, claro, reflexo de nossa cultura atual, onde a problemática ambiental não sai da mídia. Se passam mensagens positivas e fazem efeito sobre a audiência – a garotada e os adultos, que às vezes gostam mais dos desenhos do que as próprias crianças – há controvérsias. Mas muitos educadores acham positivo provocar uma discussão sobre meio ambiente, especialmente com os pequenos, a partir da audição de um desenho animado na escola.

Como o…

Para falar de meio ambiente com as crianças

Despertar o prazer pela leitura e, ao mesmo tempo, passar uma mensagem positiva sobre a natureza, também com prazer. Isso é possível? Para o músico Tino Freitas, do projeto Roedores de Livros, com certeza...

Escrevi sobre o trabalho voluntário do Tino e mais seis "roedores de livros" em Ceilândia (DF) para um especial de leitura da revista Nova Escola. Postei aqui no blog um pouco sobre seu trabalho de contar histórias, ensinar música e arte... e pedi a eles dicas de leitura que tenham a ver com meio ambiente. Olha só o que o Tino nos mandou:
"Dia desses recebemos o convite da Débora Menezes, que cuida com muito carinho do blog Educom Verde, para escrevermos sobre Literatura Infantil, convidando os educadores ambientais a promover a educação ambiental por meio da leitura. Vale à pena explicar que o nosso projeto, o Roedores de Livros, oferece a um grupo de crianças no entorno de Brasília o contato com os livros. Acreditamos que o contato com a Literatura Infantil é uma i…

Quadrinhos, um jeito divertido de ensinar meio ambiente

A tirinha acima faz parte do projeto Edu HQ, mantido pelo Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, e mantém um acervo com centenas de quadrinhos e pequenas animações, muitas delas feitas por crianças. No item meio ambiente há 173 tirinhas como essa.

Trabalhar com quadrinhos na sala de aula e no dia-a-dia é uma viagem... pois a partir da brincadeira é possível levantar vários pontos: refletir sobre o recurso de linguagem, o humor, a ironia, pesquisar o que o autor quis dizer, o que há por trás da história.

Já para quem é "gente grande", quadrinhos são sempre um respiro no dia-a-dia... e também ajudam a pensar!